bannerAscom
«Voltar

Redução da velocidade é tema de campanha mundial

O apelo é mundial: reduzir a velocidade para salvar vidas. Esse foi o tema da 4ª Semana Mundial das Nações Unidas sobre Segurança no Trânsito, que mostra novamente o alerta da Organização Mundial da Saúde do quanto às lesões e mortes no trânsito impactam nos sistemas de saúde pública.
 
Etienne Krug, diretor de Prevenção da Violência, Lesões e Incapacitações da OMS, explica que, quanto maior a velocidade, maior a probabilidade mortes no trânsito. “Se um veículo anda a 50 km/h e toca em um pedestre, a probabilidade de morte vai ser de 20%”, afirma. No entanto, se a velocidade de uma via for de 80 km/h, a probabilidade de óbito acaba triplicando (quase 60%). “É por isso que dedicamos a Semana das Nações Unidas sobre Segurança no Trânsito à velocidade, porque é tempo de agir e sabemos o que temos que fazer”, comenta Krug.
 
Em uma das ações da Semana, a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) convidou diversos especialistas para responderem dúvidas frequentes sobre os perigos e consequências da velocidade excessiva no trânsito. Dentre eles, o especialista em trânsito e diretor do Portal do Trânsito, Celso Alves Mariano, o representante da OPAS/OMS no Brasil, Joaquín Molina, o professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília (UnB)  David Duarte Lima, além do sociólogo Eduardo Biavatti, entre outros.
 
Celso Mariano, que tem uma vasta experiência com educação para o trânsito, falou sobre o papel do instrutor de trânsito e do CFC nesta luta. “Na formação de condutores está uma oportunidade especial de entender a relação entre velocidade e segurança”, explicou o especialista.
 
Campanha
 
A Semana das Nações Unidas é uma oportunidade única de advocacy, que contribui para atingir as metas 3.6 e 11.2 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ambas relacionadas à segurança viária. Por ocasião da Semana, a OMS lançou também a publicação “Save LIVES: a road safety technical package”, que detalha 22 medidas fundamentais baseadas em evidências consideradas mais prováveis de ter impacto nas mortes e lesões no trânsito, incluindo um item relacionado à gestão da velocidade.