Trânsito e cidadania

Data
Termos
Cidadania

Diversas atitudes compõem o papel do cidadão no trânsito. A primeira que podemos citar é a cooperação mútua e o respeito ao assumir o volante. Com base nas regras estabelecidas pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o condutor deve assumir posturas que evitem prejudicar outros condutores e pedestres no fluxo do trânsito. Pensar na segurança de todos e não apenas na individual é uma das posturas de respeito mútuo. Para isso, o condutor deve seguir as normas de segurança viária.

Dar sinal para mudar de direção ou de pista pode parecer uma atitude de menor importância, mas faz muita diferença na segurança dos pedestres e veículos que estão próximos. Diminuir a velocidade ao se aproximar de uma faixa de pedestres também é uma atitude que, na maioria das vezes, pode não fazer diferença alguma para o próprio condutor, mas é um sinal de respeito ao pedestre, permitindo que ele se sinta seguro ao atravessar a faixa.

Outra ação que está refletida em respeito e cooperação entre os que compõem o sistema de trânsito é o ato de exercer a paciência com as atitudes de outros condutores ou pedestres. Sabemos que alertar o outro condutor ou o pedestre de que a sua atitude está errada quando ele comete um erro é uma forma de cooperar para que o fluxo de trânsito se mantenha organizado. Entretanto, perder a paciência por qualquer deslize cometido por outro condutor, por exemplo, que pode, muitas vezes, ser um recém-habilitado e, por isso, não ter tanta prática ao conduzir o veículo, é um comportamento que vai contra a manutenção de um trânsito pacífico.

Promover a paz no trânsito, ser paciente com outros condutores e pessoas que andam a pé e aceitar os pedidos de desculpas quando o condutor ou o pedestre percebe que cometeu um erro são atitudes de cidadania. A promoção da paz, em sua totalidade, faz parte das atitudes de um cidadão.

Fonte: Politize